Entendeu ou quer que eu resenhe?

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

O SEGREDO DOS SEUS OLHOS





Direção: Juan José Campanella
Gênero: Drama
Nacionalidades:  Espanha, Argentina

A primeira vez que vi este filme foi durante uma madrugada, daquelas mais tediosas e insones. Por acaso, estava zapeando os canais e comecei a assistir porque fiquei interessada no clima policial que já predominava desde o começo da história. O sono acabou chegando e acabei perdendo o final do filme. Claro que depois disso, corri atrás para descobrir como o drama terminava. E não me decepcionei nem um pouco. 

Baseado no livro no livro La Pregunta de sus Ojos, de Eduardo Sacheri, o filme O Se­gredo dos Seus O­lhos apresenta aspectos técnicos levados à excelência: o roteiro que trabalha a complexidade da trama com excursões entre passado e presente, a impressionante interpretação dos atores, a fotografia impactante, a trilha sonora assinada pelos compositores Federico Jusid e Emilio Kau­de­rer. Impossível resistir ao clima essa película que, com todo o mérito, ganhou espaço entre as mais sofisticadas produções do cinema latino-americano, destacando-se na história da cinematografia mundial. Ganhou o Oscar como o melhor filme estrangeiro de 2010, além do prêmio Goya de melhor filme do ano.

Em 1999, o oficial de justiça, já aposentado, Benjamin Espósito (Ricardo Darín) dedica-se a escrever um livro baseado em sua experiência profissional na área penal. Para o enredo do seu romance, escolhe um caso ocorrido em 1974: o estupro e assassinato de uma bela jovem. Buscando material para o seu livro, Espósito revê os dados do caso e acaba conhecendo Ricardo Morales (Pablo Rago), marido da falecida, a quem promete encontrar o culpado pelo crime brutal. Para alcançar seu objetivo, Benjamin Espósito conta com o auxílio do amigo alcóolatra, mas com tarimba profissional, Pablo Sandoval (Guillermo Francella), e também de sua chefe (e paixão secreta) Irene (Soledad Villamil). 

O filme transcende o gênero policial, pois sua trama desenvolve-se densa ao revelar o obscuro labirinto psicológico do protagonista. O romance que Espósito pretende terminar funciona como uma espécie de terapia. O processo criativo, ficção baseado em fatos reais, surge como necessidade de enfrentamento de seus conflitos e o força a reviver situações dolorosas do passado. O fracasso experimentado devido a um caso não resolvido e a culpa por suas promessas não cumpridas vêm à tona como temores que impedem o envolvimento emocional. 

O Segredo dos Seus Olhos não é um filme leve, feito para distrair e pronto. Trata de assuntos mais complexos, como a impossibilidade de se abandonar amores e promessas impunemente. Durante vinte e cinco anos, Espósito sublimou a paixão que sentia, mas esta não sumiu, só manteve-se em estado latente para explodir a qualquer momento. Como consequência desta fuga, o protagonista depara-se com um tremendo vazio existencial. Assim, ele tenta resgatar a história do crime não solucionado que se mescla a sua própria história pessoal. A renúncia ao amor impede a sua realização como homem e profissional.  

Um filme para se assistir com calma e tempo. Não há possibilidade de se entediar com a trama, nem passar indiferente pela história do complicado e interessante Benjamin Espósito, que nos faz rever nossos conceitos de liberdade e aprisionamento. Quais os crimes que nos levam à pena máxima? E qual a pior punição que se pode receber? O final do filme mostra que a prisão perpétua pode ser vista (e vivida) de uma forma muito subjetiva. 

O Segredo dos seus Olhos entra para o meu hall de filmes com etiqueta Uhuu, adorei.

Cotação: *****






Um comentário: