Entendeu ou quer que eu resenhe?

terça-feira, 16 de agosto de 2016

Retratos Falados dos Meus Amores Impossíveis






Livro com doze contos que abordam os sentimentos, em suas várias formas e nuances - das mais banais às mais densas. Cada história traz um ponto de vista particular das relações pessoais. Um universo tão rico que torna praticamente impossível ao leitor não se identificar com os personagens e seus conflitos.
Em Ela, conto que abre este livro, Fabio Baptista apresenta uma narrativa curta, na qual um gesto usual - tomar um café - traz lembranças e reflexões mais profundas. O estilo simples, direto e sensível do autor nos aproxima da narrativa e, quando nos damos conta, estamos sentados ao lado da personagem, mergulhados em seu monólogo.
Os contos, na sua grande maioria, apresentam forte carga emocional, provocando tensão do começo ao fim. Cada narrativa, mesmo quando suavizada por toques de ironia, mantém um fio condutor esticado ao limite, prestes a arrebentar. São as emoções dos personagens que dominam e surgem ternas como na relação entre pai e filho (Coisas que Lembraremos Antes de Ver o Pôr do Sol) ou bastante densas, quando ligadas a traumas do passado (Memórias de uma Bruxa).  
O leitor encontrará um pouco de tudo, desde os sonhos e lembranças da infância (Saudade de Voar) à melancolia de uma frustração amorosa (Mil Pedaços de um Coração Tatuado à Nanquim). Através de seus contos, aparentemente simples e sem grandes pretensões, Fabio Baptista leva o leitor a rever questões essenciais da vida de todos nós. São os retratos falados (e escritos) das intrincadas ligações amorosas, que esbarram em alguns clichês, mas o que é a vida senão um grande clichê?
Para os mais impacientes (ou preguiçosos), há o micro conto Motivo que, em pouquíssimas linhas, revela uma trama de várias camadas, sem desperdiçar uma única palavra. Não há espaço para explicações desnecessárias.  O cotidiano, o abandono e a frustração condensados em só um sopro, ou melhor, em um belo tapa na cara.
Todas as histórias remetem a casos contados sem reservas, dessas coisas que se fala em uma conversa entre amigos. Uma confissão do que se viveu e observou em relacionamentos duradouros ou fugazes, paixões frustradas, experiências que se transformaram em lembranças ou cicatrizes. A diferença aqui é a habilidade do autor no emprego das palavras, apresentando um panorama quase real para cada história. Pura ficção? Só o autor poderá responder.
Retratos Falados dos Meus Amores Impossíveis, uma leitura interessante, para ser feita sem pressa. Uma trilha pela vida como ela é, diria Nelson Rodrigues. Eu acrescentaria: vida como a nossa vida, a vida de qualquer um. .
Ao terminar a leitura, entre um engasgo e outro, um lacrimejar disfarçado, o leitor encontrará bons motivos para sorrir, e provavelmente, sinta uma estranha e agradável sensação de familiaridade: acho que já vivi isso.  

AVALIAÇÃO: ****

http://tinyurl.com/hdveqv7


Um comentário: