Entendeu ou quer que eu resenhe?

domingo, 21 de agosto de 2016

LIGADOS PELO AMOR

 
Título original Stuck in Love
Direção: Josh Boone
Elenco: Greg Kinnear, Jennifer Connelly, Lily Collins
Nacionalidade: E.U.A.
 
Filme classificado como uma comédia dramática. Confesso que achei a definição bastante bipolar. Aí, fiquei na dúvida se deveria rir ou chorar, mas como não sou mulher de lágrimas vãs, decidi apenas apreciar o filme. E curti muito, muito mesmo.
A trama apresenta um escritor famoso (Greg Kinnear) que vive uma relação obsessiva com a ex-esposa (Jennifer Connelly), a ponto de espioná-la na sua nova casa. A filha, Samantha (Lilly Collins), ao mesmo tempo que vive um momento feliz com a publicação de seu primeiro livro, enfrenta uma relação bastante conflituosa com a mãe. Já o irmão mais novo, Rusty (Nat Wolff),  lida com as frustrações do primeiro amor. 
A literatura paira sobre os personagens como uma nuvem, ora trazendo a sombra necessária, ora causando bruscas tempestades. Bill Borgens incentiva (quase obriga) os filhos, desde pequenos, a escreverem diários para desenvolver o seu gosto pela literatura. 
Talvez, muitos considerem Ligados pelo Amor um filme mais apropriado para a sessão da tarde com pipoca e aditivos químicos. É um desses casos em que você começa a assistir às primeiras cenas sem a menor intenção de levar a sério e, quando vê, já está grudado na tela. No meu caso, na tela do computador. Tem clichês? Tem sim, senhor. Tem sentimentalismo? Tem também.
Como bônus, pelo menos para mim, o ator Greg Kinnear surge na tela como um sósia do autor moçambicano Mia Couto. Bem parecido, ainda mais fazendo o papel de um escritor . Adorei.
Ligados pelo Amor mostra o amor em suas várias facetas : entre pais e filhos, namorados e irmãos, trazendo reflexões sobre a real qualidade dessas relações tão íntimas e, ao mesmo tempo, tão frágeis. 
Um filme que vale a pena ver, que pode fazer você parar um pouco e pensar no que está fazendo da sua vida.  
 
Cotação: ****

Nenhum comentário:

Postar um comentário